15/09/2014

mente confusa, postagem confusa.

eu ia começar escrevendo "eu queria que você me entendesse" > mas como eu posso pedir que você me entenda, quando eu mesma não compreendo o que se passa? > talvez a palavra não seja essa > talvez eu só queira que você seja tolerante nesse momento > que você pondere algumas coisas > que seja mais racional e menos impulsivo > que mantenha a cabeça no lugar e não desligue o telefone na minha cara.

não, eu realmente não (me) entendo

há quem diga que meu pensamento é egoísta > que em prol de um amor maior, abdica-se de pequenas fantasias > mas o que eu faço se isso não cabe mais na minha cabeça? > se essa ideia me soa como uma limitação infundada, como um padrão não questionado? > por que não tratamos a coisa com mais lógica? 

sim, a gente está bem > e por acaso sentir atração por outra pessoa exige, como condição, quem um relacionamento vá mal? > veja: as coisas, como costumamos pensar num primeiro momento, não fazem sentido > eu não me interesso por uma roupa nova só quando outra já não me serve ou está gasta > eu me interesso porque é interessante > e não vou deixar de usar as velhas porque comprei uma nova.

mas por que é tão difícil aceitar isso tudo? > ai, malditos padrões > maldito ciúme > maldito desejo de POSSUIR pessoas > pessoas não são coisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário